sexta-feira, 1 de junho de 2012

Doenças Mentais e o Espiritismo

Caros leitores, “O Mundo de Crisi" não gira apenas no que muitos definem como futilidade, muitas pessoas já me falaram que as experiências que venho compartilhando com todos são apenas futilidades ou passatempo. Na minha concepção uma viagem não é apenas descontração, podemos retirar muitas coisas boas de uma viagem, tais como: fazer novos amigos, aprender sobre a história local, buscar lições de vida, etc.

Vocês devem estar se perguntando o que isso tem a ver com o título do post não é mesmo? Então, há anos eu simpatizo com a doutrina espírita e agora resolvi me comprometer com os estudos, resolvi me aprofundar nos temas propostos pelo Espiritismo de Allan Kardec, e posso adiantar que está fazendo um bem enorme para mim e para todos os que comigo convivem.

Quarta-feira, durante os estudos, foi levantado um tema muito relevante, a relação que muitas doenças psíquicas têm com espíritos chamados de obsessores, ou seja, espíritos de má índole, vingativos, que tentam a todo custo atrapalhar a vida dos encarnados que foram seus desafetos nesta ou em outras encarnações.

Confesso que é difícil explanar sobre o assunto, pelo simples fato de eu estar apenas começando meus estudos e não ter, ainda, o domínio perfeito, mas chegando ao ponto em questão, e em face de todas as explanações de quarta-feira fiquei curiosa e procurei tirar o restante das dúvidas pesquisando textos na internet, encontrei um texto muito interessante e que resume e esclarece muito bem a questão que, ressalvadas as exceções, doenças como a depressão, por exemplo, acabam fazendo com que o indivíduo atraia forças negativas e, consequentemente, espíritos obsessores, pois como uma colega nos explicou, temos que praticar a oração, a fé e a caridade para não vibrarmos na mesma sintonia dos seres das trevas.

Assim gostaria de compartilhar o texto com vocês, deixando claro que respeito todas as crenças, pois a meu ver o que vale é a fé e prática do bem, também não quero que pensem que estou tentando converter alguém, nada disso, o Espiritismo é uma ciência e como tal respeita a decisão e o livre arbítrio que todos possuem em escolher o caminho de suas vidas.

A síndrome do pânico, a depressão e outras doenças psíquicas podem ter como causa outros fatores que não os físicos, segundo a doutrina espírita. De acordo com Renato Barioni, professor do tema no Centro Espírita Irmã Scheilla, nosso cérebro estaria sob influência de um espírito. "Por sermos entidades espirituais 'temporariamente encarnadas', estamos sujeitos a toda influência espiritual benigna de nossos bem feitores, ou até mesmo de irmãozinhos da oposição", disse.

Por que esses espíritos desencarnados causariam essa desordem? Os motivos são diversos. Eles podem ser espíritos obsessores por alguma inimizade de vidas passadas, e as pessoas podem também atrair energias por uma manifestação de mediunidade. De qualquer maneira, o espiritismo defende que é sempre um aprendizado passar por esses obstáculos. O fundamental é que todos mantenham o pensamento voltado para o bem e para a caridade, assim não entram em sintonia com essas baixas energias.

O professor Renato Barioni explica como é feito o tratamento espiritual. "O tratamento sempre é feito em etapas, com amor e dedicação. Primeiro a pessoa passa por um atendimento fraterno, que visa mensurar o problema e definir o melhor tratamento. Então a pessoa é encaminhada ao tratamento desobsessivo, quando for o caso, que incluí reposição de energias e até cirurgias quando necessário. Mas tudo isso não será permanente se a pessoa não mudar seus hábitos. Só conseguimos isso com a re-educação e entendimento da sua condição de espírito reencarnante. A pessoa deve estudar e praticar a caridade como profilaxia e defesa", afirmou.

Geralmente as pessoas procuram o tratamento espiritual depois de não encontrarem respostas e soluções nos recursos da medicina. O médico Franklin Ribeiro, psiquiatra, professor de psicologia médica da faculdade de medicina da USP e conselheiro do Hospital Psiquiatra Espírita João Evangelista, acredita neste tipo de tratamento. Apesar de muitos médicos ignorarem a questão, já existem avanços e linhas de pesquisas relacionadas ao tema. "De um modo geral os médicos não acreditam nisso. Eles enxergam a doença somente no cérebro. Em casos de transtornos muito acentuados, quadros diferentes, esses mesmos colegas médicos enviam o paciente para mim, perguntando: Será que é algo mais?", disse.

O médico leva seu conhecimento espiritual para dentro do consultório. Ao receber o paciente realiza a anamnese, espécie de entrevista, onde faz abordagens sobre a vida da pessoa, o contexto onde está inserida, e pergunta inclusive se tem alguma religião e qual o grau de envolvimento com ela. O segundo passo, e decisivo, é fazer uma série de exames para verificar se a doença não é realmente química, metabólica, ou até mesmo um quadro de repetições da mesma doença no histórico da família. Quando todas essas abordagens não funcionam bem, ele conversa com a pessoa e recomenda um tratamento espiritual

"Tenho a visão médica, psicológica e espiritual bem clara. Sei separar uma coisa da outra. Os exames são de suma importância. Não podemos relacionar tudo o que é doença com o espírito. O tratamento espiritual é complementar e não alternativo", afirmou.” Fonte: Terra - clique aqui


Espero ter ajudado a todos que ainda têm dúvidas sobre o assunto e, espero também, contar com a compreensão dos leitores que não são adeptos deste entendimento, mas senti a necessidade de escrever sobre isso, afinal o Espiritismo também faz parte do pequeno Mundo de Crisi.

Minha conclusão: Pensamentos positivos atraem bons fluídos e forças do bem!




Nem todas as fotos deste blog são de minha autoria, caso deseje os créditos por alguma foto ou a sua remoção favor encaminhar seu e-mail para: crisianiii@hotmail.com

6 comentários:

  1. Adorei... É isso ai...
    Liza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Liza, bom saber que as pessoas estão lendo! Bjs.

      Excluir
  2. Pura verdade Crisi...
    bj
    Kelly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Kelly, eu mais do que ninguém sei muito bem do que estou falando, bjs.

      Excluir
  3. ja que esta estudando esse assunto gostaria de compartilhar algo contigo pois eu nao tenho o entendimento, quem sabe poderias gostar...da minha experiência... não sei se é isso...meu gostaria do seu email..
    rsodalva@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, vc pode escrever para crisianiii@hotmail.com

      Excluir